Sedação Consciente

A sedação consciente é uma forma de sedação ligeira, onde o paciente, neste caso o paciente-criança permanece acordado, vígil, mas num estado de calma, de cooperação e segurança, conseguindo ainda responder a estímulos e a ordens verbais.

O N2O2 (Protóxido de Azoto) é um gás incolor, com odor e sabor suavemente adocicados. Não é inflamável, nem irritante ou tóxico.

É um procedimento que é efectuado por profissionais com treino específico, num ambiente controlado, e que apresenta uma segurança enorme.

Exige respiração nasal por parte do paciente para produzir efeito, através de uma máscara nasal.

Utilizamos uma mistura gasosa de protóxido de azoto com oxigénio. Começamos com oxigénio a 100% e vamos aumentando de 5 em 5% o protóxido até um máximo de segurança clínica de 70% de protóxido de azoto e 30% de oxigénio.

Para termos uma noção muito prática:

O ar que respiramos num ambiente não poluído tem uma presença média de 21% de oxigénio na mistura gasosa. Na sedação consciente com protóxido de azoto, no cenário com menos oxigénio da mistura gasosa, temos 30% de oxigénio.

Não pode ser utilizada em:

  • Grávidas no primeiro trimestre;
  • Pneumotórax; 
  • Enfisema pulmonar subcutâneo; 
  • Traumatismo crânio-encefálico.
  • Crianças com menos de 2 anos de idade

A sedação consciente é uma técnica que permite reduzir o medo, a ansiedade e até o reflexo de vómito.

A recuperação é total, muito tranquila e demora cerca de 10 a 15 minutos, feita com oxigénio puro.

Existe uma consulta prévia de indução e habituação ao procedimento, onde o paciente irá conhecer e experimentar a máscara nasal e para ganhar confiança e empatia com a Equipa do Dr. Luis Pinheiro.

Perguntas & respostas

Em que tipo de tratamentos é utilizada?

A sedação consciente poderá ser utilizada em procedimentos de curta extensão no tempo, e de pouca complexidade. Mais utilizada em Odontopediatria. Não obstante, também a utlizamos em pacientes adultos que sejam candidatos a este tipo de sedação.

O paciente está a dormir durante o procedimento?

Não, o paciente está em vigília, está acordado e responde a estímulos verbais por parte da Equipa médica. Encontra-se num estado de descontração, sonolência, mas está sempre consciente durante toda a intervenção.

Artigos Recentes